Pesquisa personalizada

terça-feira, 19 de maio de 2009

Ratazanas, vermes, sanguessugas, abutres e outros espécimes

video
Este grupo de "humoristas" chamado "Homens da Luta" vive à custa de fazer programas caricaturando gente simples e do povo.
Assumindo eu, desde já, que não consigo me rir nem sequer sorrir ao ver as actuações do dito grupo, e portanto a minha crítica está obviamente condicionada pelo meu gosto pessoal.
Mas este video, tinha de o comentar porque além da falta de humor, tem alguns conceitos que considero moralmente inaceitáveis.
O primeiro surge logo da própria construção do discurso do personagem, supostamente alguém que está a ditar palavras de ordem para um grupo de pessoas que se manifesta, e que no enredo do discurso só diz palavras soltas sem deixar transparecer nenhuma frase digna do nome, caricaturando assim quem se manifesta como uns débeis mentais que "não dão duas para a caixa" e que advém, certamente, de algum conceito de superioridade intelectual que os autores julgam ter sobre os caricaturados. Mas como todos os sentimentos de superioridade advém de complexos de inferioridade que fiquem com eles, (os sentimentos e os complexos) o máximo que posso aconselhar é psicanálise.
O segundo e para mim, moralmente repugnante, é o da frase que faz de refrão da música "e o povo pá, o povo quer mais dinheiro para comprar um carro novo", frase que deve, certamente, retratar o "povo" da convivência dos autores que por verem todos os outros à imagem e semelhança do seu próprio umbigo generalizam atribuindo aos caricaturados as suas próprias preocupações, já que, como o seu alcance visual termina no próprio umbigo, não conseguem ver que a preocupação de muitos daqueles (trabalhadores) que se manifestam reclamando mais dinheiro (salários) fazem-no com a preocupação, não tão intelectual como a dos autores da música, de comprar um carro novo, mas, de poder comprar comida para os filhos e poder pagar os estudos dos filhos (com a minha esperança de que os filhos saibam aproveitar os ditos estudos para verem mais longe que os humoristas em causa, o que também não é preciso muito, basta largarem o umbigo).
A terceira e última é a utilização constante por parte dos autores de manifestações utilizando os manifestantes que caricaturam para gravar os seus programas que vendem a uma qualquer estação de TV.
Ou seja vivem à custa das dificuldades do povo que passa, caricaturando-o com as suas (dos autores) próprias preocupações mesquinhas para ganharem dinheiro.
Mas é assim, dos esgotos alimentam-se as ratazanas, da podridão os vermes, das águas estagnadas as sanguessugas, da morte os abutres e das dificuldades alheias espécimes destes.

Sem comentários: